filosofia instrutores instalações horários
FILOSOFIA

Sei chûshin-dô não é o nome de uma arte marcial em si ou de um estilo de karatê. Sei chûshin-dô é a síntese da filosofia da Butoku-kan e do pensamento do nosso mestre Taketo Okuda.

 

Durante décadas de treinamento, o sensei Okuda aprimorou e desenvolveu-se nas três modalidades que ensinamos: Karatê, Kyoken-jutsu e Taikyoku-ken. Porém esta divisão foi se tornando aos poucos meramente didática, porque na prática a fronteira entre elas foi desaparecendo.

 

Quando treina sozinho ou quando ensina para turmas mais avançadas, o sensei Okuda não separa uma técnica da outra. Cada uma delas contribui de uma maneira para o nosso desenvolvimento.

 

O Karatê forja em nós o espírito guerreiro necessário para vencer todos e quaisquer desafios; cria a disciplina e a constância necessária para quem quer percorrer um caminho espiritual.

 

O Kyoken-jutsu nos ensina a perceber e a desenvolver o centro real de força em nosso corpo; nos aproxima do nosso verdadeiro eu, da nossa essência.

 

O Taikyoku-ken nos ajuda a relaxar profundamente e a sentir a energia fluir em nosso corpo, para que possamos nos misturar com a energia do Universo.

 

Apesar de independentes cada uma dessas técnicas são complementares e a união das três sintetiza a filosofia da Butoku-kan. A palavra Sei chûshin-dô significa: “Caminho do centro real”.

Rua Cunha Gago, 798 - Pinheiros

(11) 3085-1482    butoku-kan@butoku-kan.com.br

  • • SOBRE O NOSSO ESTILO DE KARATÊ

    Freqüentemente as pessoas que vêem a academia ou que ligam para pedir informações nos perguntam: “qual o estilo de karatê que vocês praticam?” Para aqueles que não conhecem nada sobre karatê, isto pode parecer irrelevante, mas para quem já praticou ou possui algum conhecimento sobre esta arte-marcial esta questão pode ser importante.

    Até pouco tempo atrás costumávamos responder que nosso estilo era o Shotokan. Esta resposta está correta se considerarmos a linhagem da qual descende nosso mestre, Taketo Okuda. Okuda foi discípulo direto de Masatoshi Nakayama, que por sua vez foi aluno de Gichin Funakoshi, o fundador do estilo Shotokan.

    Na época de Funakoshi, o karatê não era praticado como um esporte, o objetivo desta arte-marcial era fundamentalmente o aprimoramento físico, mental, moral e espiritual do indivíduo. Porém, com intuito de difundir o karatê pelo mundo, seu sucessor, o mestre Nakayama, transformou o karatê em um esporte de competição. O estilo Shotokan cresceu e se espalhou por todo o mundo e ainda hoje é considerado o estilo de karatê mais tradicional.

    Embora esta transformação tenha sido bem sucedida para a popularização do esporte, do nosso ponto de vista, promoveu algumas mudanças que desviaram e afastaram o karatê dos seus princípios. No que diz respeito à forma, muitos movimentos foram se modificando, tanto dos katas como do kumitê, adaptando-se as regras e ao critério de julgamento dos juízes. Porém, isto não significa nada perto das mudanças que ocorreram com conteúdo filosófico e espiritual contido na origem do karatê. De partida, a grande diferença é que na competição o objetivo principal é vencer seu adversário, enquanto o objetivo primordial de qualquer prática espiritual é a superação de si mesmo.

    Aqui na Butoku-kan estamos caminhando contra a corrente do karatê atual. Desde o falecimento do mestre Nakayama, sensei Okuda afastou a academia das competições e deixou de lado toda a política que envolvia o esporte (federações, conselhos, etc), para dedicar-se exclusivamente ao treinamento, dia-a-dia. Seu objetivo sempre foi promover um retorno do karatê a sua verdadeira origem.

    Este processo de retorno às origens, não significou de forma alguma um retrocesso, pois não se baseava em um mero conservadorismo. Ao longo de muitos anos de estudo, não teórico, mas prático, nosso mestre se aprimorou e incorporou outras técnicas (o Kyokuken-jutsu e o Taikyoku-ken). O resultado desta longa jornada, começamos a ver agora, com o surgimento de algo completamente novo e original, e ao mesmo tempo, totalmente alinhado com o conteúdo filosófico e espiritual que definem a essência desta arte-marcial.

    Por isto, voltando ao início: “qual o estilo de karatê que nós praticamos?” Esta não é uma pergunta fácil de ser respondida, mas entendemos que hoje, dizer que nosso estilo é o Shotokan está errado. Pois seria como dizer que ensinamos a mesma coisa que se ensina nas outras academias que adotam este estilo. Para não haver equívocos e principalmente para não frustrar aqueles que chegam até nós, mas que no fundo procuram este outro tipo de karatê, com o qual não nos identificamos, dizemos agora que nosso estilo é o Sei chûshin-dô.

    Sei chûshin-dô significa caminho do centro real. Nosso objetivo principal, aqui na Butoku-kan, é desenvolver e fortalecer o nosso tandem (região localizada no baixo ventre), não apenas por se tratar do centro de gravidade do nosso corpo, mas também porque acreditamos que é o nosso centro de energia. É desta região do nosso corpo que nasce toda a vitalidade e o espírito de combate, não apenas do karatê, mas de qualquer arte-marcial.

    Entendemos que o espírito de combate não é necessário apenas para um lutador, mas para todo ser humano que pretende triunfar sobre todos os obstáculos que a vida lhe apresentar. Não estamos preocupados em formar atletas, e sim em formar seres humanos mais dignos, mais fortes e mais íntegros.

  • • O DIPLOMA DO KARATÊ BUTOKU-KAN

    Um diploma de karatê é um documento que atesta sua graduação, ou seja, sua faixa. Sua utilidade prática é ínfima, a menos que se tenha como objetivo participar de campeonatos ou abrir uma academia.

     

    Normalmente, associa-se a credibilidade de um diploma de karatê ao fato dele estar ou não vinculado a alguma federação. Esta relação está completamente equivocada. Como na maioria dos ensinamentos orientais baseados na relação mestre-discípulo, também no karatê, o que garante a legitimidade de um mestre é a sua linhagem, ou seja, quem foi seu mestre, quem foi o mestre do seu mestre e assim por diante. Portanto, dentro do verdadeiro espírito do karatê, o que realmente importa num diploma é a assinatura de um mestre legítimo e não o carimbo de uma federação.

     

    Aqui na Butoku-kan não estamos ligados a nenhuma federação. E por que deveríamos? O Sensei é muito mais que um professor, ele representa a terceira geração de mestres de karatê, a contar de sua origem. Gichin Funakoshi foi o fundador do atual karatê-dô, ele formou Masatoshi Nakayama e conferiu a ele o direito e o dever de continuar passando este conhecimento. Nakayama, por sua vez, ensinou Taketo Okuda – o nosso Sensei – que depois de ensinar karatê em universidades japonesas, foi enviado ao Brasil para difundir esta arte. Por isso nosso diploma é respeitado e reconhecido no Japão e em muitos outros países do mundo (e no Brasil, por aqueles que conhecem as raízes do karatê), apenas por conter a assinatura do Sensei.

     

    Mas isso não é o mais importante; o verdadeiro significado do nosso diploma vai além de uma utilidade social. Ele é apenas um símbolo material da ligação que existe entre nós e o Sensei. Este vínculo não está no papel, está em nossos corações.

     Uma vez compreendido isto, percebemos a responsabilidade que devemos ter para com o Sensei. Se ele dedica sua vida e não poupa energia para crescer e nos ensinar, da mesma maneira, devemos nos empenhar com todo espírito para alcançar o grau que nos é exigido. Por isso, sempre que somos convidados para fazer exame, temos a obrigação de nos expor e mostrar até que ponto nós desenvolvemos. Ainda que não nos sintamos capazes, temos que nos superar, para corresponder ao que o Sensei espera de nós.

     

    Essencialmente nosso diploma, como qualquer outro, não passa de um pedaço de papel. Mas, para quem treina com espírito e com o coração, este simples papel tem um valor incalculável.

  • • O SIGNIFICADO DA NOSSA SAUDAÇÃO - OSS

    OSS!

    É a nossa saudação.

    É uma palavra que contém o esforço do treino e as qualidades de perseverança, paciência, tolerância, cortesia e respeito que se ganham e aprimoram com o treino.

    Aprendemos o significado de OSS através do aperfeiçoamento do espírito e não de explicações ou palavras.

    OSS se ouve com o coração.

    Não é preciso ser um iluminado, um campeão ou um sobre-humano para viver o OSS. Basta uma vida simples, sem exibicionismo, em que não se precisa provar nada a ninguém.

    Para se chegar neste vazio é necessário muito esforço e muita energia.

    O esforço não é só físico, a energia não é apenas muscular. É na integração com as forças do universo que o karatê ganha a correta dimensão de arte e filosofia. O espírito ganha plenitude, equilíbrio e harmonia.

    Vencer a si mesmo é o fundamento de OSS!

    O texto a seguir explica o sentido de OSS. É uma poesia japonesa que tenta entrar na alma do vencedor do duelo mais famoso da época dos samurais:

    “As pessoas não desistem de seus amores e de seus ódios por toda vida,

    Ondas de sentimentos vêm e vão com a passagem do tempo,

    O mundo está sempre repleto do som das ondas,

    Os pequenos peixes, abandonando-se às ondas, dançam, cantam e brincam, mas quem conhece o coração do mar?

    Quem conhece sua profundidade?”

  • • PROMESSA

    (Sensei Okuda)

    Karatê-do Butoku-kan não tem a competição como finalidade. Meu objetivo não é vencer o adversário e conquistar uma glória momentânea ou efêmera. Minha finalidade é atingir o Mundo Sublime. Essa é a verdadeira Vitória.

    Karatê-do Butoku-kan é o combate eterno consigo mesmo, pela supremacia da capacidade do corpo que nos leva ao infinito júbilo, à felicidade Suprema, ao Incorpóreo, à Transcendência. Se estou profundamente cansado, ou sem saúde, se por um acaso me entrego à ociosidade, então um grito de consciência jorra do fundo do meu coração.

    “Fraco!“

    Como posso perder minha batalha própria?

    Mesmo cansado, mesmo doente, não posso recuar. Não quero recuar.

    Preciso vencer meu próprio Eu.

    Vou cumprir a promessa do meu propósito primeiro.

    “Através do treino atingir o infinito júbilo e a suprema felicidade. Abrir as portas

    do universo.”

    Treinar o mais forte possível e deixar o resto ao destino.

    Só prática! Prática! Prática!

  • • TERRA NATAL

    (Sensei Okuda)

    Existe no mundo dos grandes mistérios um lugar onde tudo começou. Um lugar cheio da mais pura energia e em eterno movimento. Lá estão as raízes mais profundas de todas as coisas que existem. Este enorme gerador da energia Universal guarda o segredo da Essência primeira, da nossa verdadeira origem.

    Como tudo que existe neste nosso universo visível, nós, Homens, somos parte dessa grande Fonte de Energia. Pertencemos a ela. Nosso corpo aprisiona em si essa nossa origem, e tem, guardada com imenso cuidado, a chave para que

    possamos abrir e transpor o Portão Sagrado.

    Nosso pequeno corpo, nosso Eu, é parte desta Essência, e nossa missão é restabelecer nosso contato com Ela. Antes de nascermos nós éramos essa Energia sem limites, infinita. Nossa missão é elevar nosso Eu provisório em direção a nossa  verdadeira Origem, perfeita e pura, que é o começo e o fim de todas as coisas.

    Minha vida é um treino incessante dedicado ao contato  e expressão dessa Energia  profunda e misteriosa. Meu caminho é o Karatê.

    Mas o que é o Karatê? Um jogo? Uma competição? Uma vitória ou derrota?

    Violência? A finalidade do Karatê é só derrubar outra pessoa? Vida ou morte?

    Vencer ou perder? Inimigo ou eu?

    Essas são as características da luta. Sempre opor-se, ter de selecionar uma das alternativas. Não ter paz, estabilidade. Somente inquietude e ansiedade.

    O verdadeiro Karatê é o treino incessante para que possamos abrir o Portão Sagrado e  comungar com nossa Energia Original. O verdadeiro Karatê é o caminho para se encontrar o Verdadeiro EU. Esquece esse corpo provisório, busca a pureza, a verdade da grande Energia do passado.

    Meu Karatê está voltado para  o “KI” - Energia Espiritual. A expressão do “KI” é pura Arte e Harmonia.

    Arte “KI” é a expressão desta Energia. Como alcançar o Universo com meu pequeno corpo? Através de uma ação momentânea, toda a Força Universal invade nosso corpo, revelando a ligação com nossa verdadeira Energia Original. A Arte “KI” cria o espírito elevado, nos leva ao coração de Deus.

    O verdadeiro guerreiro tem o coração completamente puro, sem desejo, sem pensamento. A verdadeira luta não espera resultados. Só a prática é importante.

    Só o caminhar incansável em direção a um mundo sublime, puro.

    Minha vida é este treino, esta busca. Meu trabalho é mostrar o caminho através do corpo. O “ Sei Chüshin” (Centro de gravidade física). Aí esta a entrada para este mundo misterioso. Este é o tesouro do Universo que está brilhando, escondido, latente em cada pessoa.

    Nós estamos dispersos, nossas atenções voltadas para fora de nós, buscando o Paraíso em coisas alheias. Honra, dinheiro, posição social. Nada disso importa.

    Só uma coisa nos acompanha no Infinito. Este ponto de luz que guardamos dentro de nós. A grande Energia que está latente em cada um, esperando para derramar sobre nós a sensação do mais puro júbilo. A sensação maravilhosa de penetrarmos no mistério deste Universo.

    Nosso  caminho é o treino, o árduo trabalho, a procura incessante.

    Nossa meta:  “A Terra Natal”

  • • SOBRE MINHA PROFISSÃO - SENSEI OKUDA

    Muitas vezes me perguntam qual a minha profissão.

     

    Eu não sou simplesmente um professor de Karatê. Eu não gosto do Karatê atual. Eu sinto muito que as pessoas que estão treinando Karatê atualmente não estejam pensando na profundidade do espírito do Karatê.

     

    Karatê não é só competir. Quem ganha ou quem perde. Karatê é muito mais profundo que isso.

     

    Então, minha profissão qual é?

     

    Eu estou tentando criar outro nível de Karatê. Como uma Arte.

     

    A “Arte KI”, através de uma ação momentânea. (Ki - energia espiritual).

     

    Em suma, com meu corpo, eu gostaria de expressar o Universo. O Todo. Meu corpo é só uma pequena parte desse Universo. É apenas carne e osso, só uma forma. Mas originalmente ele tem ligação profunda com a misteriosa Fonte da

    Energia, com o coração de Deus.

     

    Meu Eu Original é perfeito. E isso é o que tento expressar com meu corpo provisório. Quero mostrar o Universo com a pequena parte que é meu corpo.

    Quero elevar esta parte do meu Eu, transcender, me misturar com o Universo.

     

    Estou buscando a verdadeira ligação do meu corpo com esta Energia Primeira.

    Quero voltar ao passado. Meu corpo agora é muito pequeno, mas antes de nascer não tinha limites, era a verdadeira, grande e misteriosa Energia.

     

    Perder ou ganhar são interesses mundanos, passageiros.

     

    Meu treino não tem interesses mundanos. Treino para alcançar meu Verdadeiro Eu. Para isso, preciso esquecer de mim, de tudo que me cerca.

     

    Este mundo onde vivemos, este universo visível, a lua, o sol, a natureza, não é o Universo a que me refiro. Eu falo do invisível, da verdadeira Mãe. Da massa de Energia Pura, geradora de tudo, eterna e em constante movimento. O Caos.

     

    Como conseguir alcançar este Universo com esta pequena parte que é meu corpo?

     

    Gostaria de mostrar esta Arte. Isto é “Ki” - Energia de Origem.

    Por isso não tenho interesse em jogos de Karatê. Luta, violência é coisa animal. Não tem Arte. É superficial. A verdadeira luta tem o coração puro. Não tem desejo. Não pode pensar. É só prática. Não se deve também esperar resultados. O caminho é o importante.

     

    Nossa vida é muito curta. Vamos perseguir um objetivo maior, verdadeiro, puro.

    Nossa meta não pode ser só derrubar outra pessoa. Quando vejo o Karatê atual encontro sempre os opostos: vencer x perder, inimigo x eu, vida x morte. Sempre é necessário selecionar uma das alternativas. Essa é a característica da luta. Sempre opor-se. Nunca há paz, estabilidade. Só inquietude e ansiedade.

     

    Quando buscamos o espírito puro de treino, é preciso resolver essa relatividade, para nos tornarmos um só. Junto com o Universo, invisível e sublime.

     

    Por isso eu gostaria de mostrar a Arte de harmonização. Aprofundar racionalmente, através do meu corpo, o “Sei Chiushin”, Centro de Gravidade

    Físico.

     

    “Sei Chiushin” é a nossa ligação com o Mundo Misterioso. Aí está a solução, a chave para todas as coisas. Meu corpo tem este ponto, meu próprio Centro de Gravidade Físico. Então, em tenho a porta deste Mundo Misterioso.

     

    “Sei Chiushin” é uma mina onde brilha o tesouro do Universo. Esta mina está escondida, latente em cada pessoa. Nós estamos dispersos, nossas atenções voltadas para fora de nós, buscando o Paraíso em coisas alheias, honra, dinheiro, posição social. Mas Ele está dentro de nós. Quando morrermos, sozinhos, para onde vamos? Este ponto é nossa ligação, nossa porta de entrada.

     

    “Sei Chiushin” é o universo dentro de nós, a Força infinita, sem limites.

     

    Esta é a minha busca. A sensação desta Força.

     

    Meu trabalho é muito grande. Não posso substituir por nenhum outro.

     

    Abrir as portas do Tesouro, do Nirvana. Gozar o grande júbilo, penetrar no

    Universo.

     

    Mas esta não é uma finalidade, é um caminho. Um caminho em direção à minha Origem.

     

    Minha Terra Natal.

  • • SEI CHUSHIN - CENTRO REAL

    “Sei Chushin” é o centro de gravidade do corpo humano. Está localizado no

    Baixo Ventre e é o nosso “Centro Real”.

     

    “Sei Chushin” é um tesouro que todas as pessoas possuem. Uma jóia que encerra toda a misteriosa Força do Universo. Mas este tesouro latente está adormecido, silencioso, guardado por um imenso portão de ferro, infinitamente pesado.

     

    Somente através do treino contínuo e ininterrupto, aos poucos, vamos adquirindo a força e a sabedoria para unir o corpo e o espírito numa só energia, possibilitando assim a manifestação do nosso “Centro Real”.

     

    É preciso armar-se de toda a força e concentração. Bater muitas vezes. Até que um dia, de repente, sob um grande trovejar, o imenso portão se abre, e a Luz da Energia Divina inunda nosso coração de êxtase e júbilo.

     

    Chushin ryoko é esta força imensa que se manifesta através do nosso “Centro Real”, que nasce no nosso Baixo Ventre e que nos faz pertencer a uma Força Maior, Eterna e Universal

     

    Então, finalmente tomamos consciência do “Diamante Divino” que guardamos dentro de nós, e, pela primeira vez compreendemos a nossa “Verdadeira Existência no Universo”.

  • • KIAI

    O “KIAI” possui um poder altamente místico, oculto e sutil. É a fonte motriz que gera as ações e o movimento de todo o Universo. É a energia maravilhosa que o ser humano acumula no Baixo Ventre, “Tanden”, e que, quando atinge o auge da concentração, explode.

     

    Em uma palavra, “KIAI” é uma força momentânea. É a força resultante da união do espírito humano com a energia de todo o Universo.

     

    ‘KIAI” é uma ação que expressa a liberação da Energia Espiritual e Universal, concentradas na região do “Tanden”. É a extrema existência, é clímax, é júbilo.

    É a comunhão do espírito com o Universo em silencioso êxtase. É a manifestação do Extremo Silêncio, um momento suspenso no Grande Vazio.

     

    Para se lançar o “KIAI” no momento exato, é preciso a perfeita harmonização entre a forma, a respiração e o espírito, quando o acúmulo de energia no

    “Tanden” atinge seu ponto máximo de compressão. Neste instante, uma força encantada, vigorosa e valente, capaz de transpor um muro de aço ou uma grande rocha, explode num “KIAI”, expressão máxima do Silêncio. Assim, dentro desta harmonia entre espírito, corpo e Universo, finalmente acontece a comunhão, onde tudo é a mesma energia, tudo se transforma em nada e se pode sentir vibrar o eco do Grande Silêncio.

     

    A Energia do Universo está em toda parte, em todas as coisas e seres. É a

    Energia Primeira. Seu acúmulo na região do “Tanden”, através da habilidade e treino, propicia o prazer da explosão e da união com essa Força Divina. Este é o verdadeiro “KIAI”.

     

    ‘KIAI’ não é apenas grito. O grito em si é um obstáculo para a concentração do espírito e da força física. O som do “KIAI" lançado na forma de EI e IÁ deve ser a expressão do mais elevado estado de espírito, do perfeito equilíbrio das forças opostas do Universo, do positivo e do negativo. Nosso corpo então se torna ZERO. Silêncio.

     

    Através do “KIAI” cultivamos a intensidade do espírito, a vibração, a vivacidade. Através do “KIAI” se forja o espírito humano e se purifica a sociedade.

     

    O “KIAI” é o despertar espiritual.

    Seu caminho é o desafio, o desejo, a esperança.

    Seu encontro é a Luz da Energia e o Silêncio do Universo.

  • • LAMENTO

    (Sensei Okuda)

    Eu gosto de ensinar as crianças. Poder presenteá-las com a Plenitude do Espírito.

    Disciplina, cavalheirismo, autoconfiança, respeito, são tesouros do coração, riquezas  da alma.

    Minha missão, para com as crianças  é a de forjar nelas o Espírito do Guerreiro.

    É a de dar-lhes o instrumento para enfrentar a vida com peito aberto, para ultrapassar os obstáculos de cabeça erguida, seguros, sem complexo de inferioridade.

    É através do treino de Karatê, que levo as crianças a esta Plenitude do Espírito.

    O nome "Karatê" tem sido usado e explorado de maneira errada e indigna. O Karatê não é violência, agressividade. O Karatê é uma Arte, uma Arte Marcial, onde através do aperfeiçoamento dos movimentos caminhamos em direção ao aprimoramento do Espírito. O Karatê é um treino infinito, físico e espiritual, a prática de toda uma vida, porque a capacidade de desenvolvimento do homem não tem limites.

    No que consiste este treino?

    1º. Correção da postura.

    2º. Concentração do Espírito. Paciência.

    3º. Flexibilidade do corpo e pensamento.

    4º. Disciplina.

    Ao entrar na Academia, o comportamento da criança é igual ao de todas as outras. Mas com a prática do treino, o corpo que até então era mole, fica firme, parece ferro. Não falo de força física, esta vem naturalmente. Falo de Espírito de ferro, este pequeno corpo já tem um Centro. Por isso, entre outras crianças, ela começa a brilhar.

    Ensinar às crianças não é uma tarefa fácil. Estimular, corrigir, consolar, reprimir.

    Ensinar é uma Arte. As crianças enjoam, desanimam, o corpo fica mole. Então, cuido da postura, da posição reta, firme, tensa. Mas elas se distraem, se  desconcentram. Então, cuido do Espírito. Onde está seu coração? Agarra, atenção, trás de volta para seu corpo. E neste momento, a concentração do treino fica firme. Corpo e alma estão juntos, trabalhando num esforço único, pleno.

    Assim, finalmente, posso ver a transformação nos rostinhos corados, os corações vibrando, os olhos iluminados com a força da Energia Vital, plena.

    Quando uma criança tem a possibilidade de iniciar seu treino ainda pequena, invariavelmente, sua posição perante a vida será diferente. Os ensinamentos do verdadeiro Karatê vão repercutir em seu coração para sempre.

    O treino de Karatê, vai refletir diretamente nos estudos. A criança fica mais capacitada, confiante, concentrada. As crianças   precisam ter consciência de si mesmas, flexibilidade de Espírito. Assim, elas ficam abertas aos ensinamentos.

    Eu sou muito exigente. Durante o treino ensino a paciência, a postura reta, a concentração do Espírito. Vencer a si mesmo. Ultrapassar seus próprios limites.

    As atitudes de tédio e preguiça somem completamente. Surge o Espírito Positivo.

    Instaura-se a autoconfiança.

    O Karatê não é divertimento.

    O objetivo da escola é que o aluno adquira capacidade para ter condições materiais para a vida.

    O objetivo do Karatê é forjar o Espírito, a coragem, a autoconfiança.

    Meu trabalho com as crianças é de uma dedicação intensa, de respeito mútuo, de cumplicidade, companheirismo. O empenho é profundo tanto da minha parte  como da das crianças, que se entregam a esta tarefa árdua que é o crescimento saudável, onde você tem que dar de você, se esforçar, dar sua Energia, "suar seu quimono".

    Assim, quando finalmente se estabelece esta relação intensa e segura entre o Mestre e as crianças, muitas vezes a criança sai da Academia. As razões para esta atitude dos pais são muitas. Estudo, dificuldade de transporte, dinheiro.

    Mas meu coração, triste,  queria perguntar, onde encontrar um treino que forneça às crianças os tesouros, as riquezas de que falei? Onde encontrar um

    Mestre verdadeiro, enérgico e carinhoso, que ensine profundamente o caminho para a formação do Espírito Verdadeiro?

    Minha missão para com a sociedade é forjar o Espírito dos jovens, torná-los homens íntegros, seguros. Esta é a missão da minha vida.

    Aquele que pratica o verdadeiro Karatê certamente será um membro íntegro da sociedade. Aquele que treina saberá frear as injustiças.

    Mas meu coração de Mestre chora. Chora pelas crianças distantes, ausentes, meus alunos, pequenos companheiros de treino. Meu coração de Mestre chora,

    mas sabe que todo o empenho que tivemos nunca será em vão, porque existe agora uma pequena semente, esperança futura, no coração das crianças.

  • • CAMINHO - PARTE 1

    A filosofia do Karatê é verdadeira e profunda. Karatê não é só fortalecer o corpo, participar de competições, vencer ou perder de um adversário. Vista por este ângulo a prática do Karatê se torna fútil e vazia.

     

    Por mais de 40 anos venho praticando Artes Marciais. Lutas e campeonatos não é o verdadeiro objetivo do Karatê.

     

    O Karatê não deve ser encarado como um esporte, pois desta maneira se torna completamente limitado. Mesmo, se por ventura, você venha a se consagrar campeão, esta será uma glória efêmera, e vai pertencer a um passado cada vez mais longínquo.

     

    O verdadeiro caminho do Karatê é a “Introspecção”, a “Meditação”, onde o corpo se une ao Universo.

  • • CAMINHO - PARTE 2

    Nosso corpo é maravilhoso. Dentro dele temos, guardado, um tesouro: “A porta da nossa ligação direta com o Universo, com Deus”.

     

    Como podemos perceber esta ligação?

     

    Todos nós temos um “Centro Real”, localizado no baixo ventre. Este “Centro Real”, cujo nome é “TANDEN”, é a nossa ligação com o Universo.

     

    É preciso fortalecer este “Centro”.

     

    O Universo é grande, infinito. E nosso corpo é tão pequeno... Mas guardamos dentro dele, adormecida, esta pequena chama, que através da prática da  respiração e da meditação, se expande, atravessando os limites do nosso corpo, se misturando com o Universo.

     

    É através do treino constante, do fortalecimento do baixo ventre e quadril, que uma nova vida nasce dentro de você. É essa energia que desperta, se desenvolve e cresce cada vez mais.

     

    Nosso pequeno corpo está guardando em segredo essa Energia. Muito maior. Muito mais poderosa.

  • • CAMINHO - PARTE 3

    Quando estou treinando um movimento, um exercício de respiração, meu pensamento fica completamente nulo, limpo. Então, vejo nascer a sensação de alegria, de força, de Energia. É essa sensação maravilhosa que me faz continuar sempre treinando, porque é o sentimento da “Verdadeira Felicidade”.

     

    É essa Energia que busca o meu Karatê. Desenvolvendo e fortalecendo nosso

    “Centro Real” vamos liberar essa Energia que é nosso contato com o Universo.

     

    Mas o Universo também tem seu “Centro Real”, sua entrada, seu portão. E para abrir esse portão é preciso força, muita força. O treino do Karatê vai criar este espírito intrépido, a força vital. Em cada um dos movimentos vai nascer essa Energia. Isso é o Karatê.

     

    Mas o caminho a percorrer é longo, muito longo, se quisermos abrir as portas do Universo, e, para isso é preciso treinar o Conteúdo.  Não é perseguir o superficial, o corpo, a competição. Meu objetivo é a abertura Espiritual.

     

    Nosso corpo não é diferente do dos outros animais. Então, porque nascemos humanos?

     

    Porque devemos despertar espiritualmente.

  • • CAMINHO - PARTE 4

    Nosso adversário, nosso verdadeiro desafiante é a Energia do Universo. Este adversário, indivíduo, humano, não é nada frente à Energia do Universo.

     

    O treino de Karatê, através da respiração, nos leva a alcançar a luz, o coração de Deus, uma alegria incontida, a verdadeira felicidade.

     

    Algumas pessoas me dizem que em certos momentos se sentem completamente felizes, quando, por exemplo, estão na companhia de amigos, ou da pessoa que amam, ou mesmo fazendo coisas que são gratificantes. Mas esta é a felicidade passageira, superficial, mundana, porque depende de pessoas e coisas alheias a você.

     

    A verdadeira felicidade mora dentro de nós. É mais profunda, cristalina, é puro júbilo. E para se chegar a ela é preciso um desafio para consigo mesmo.

     

    Esquecer o próprio corpo, se libertar, lutar.

     

    Se você está sempre se poupando, não vai encontrar a verdadeira felicidade. É preciso quebrar esse corpo, uma vez que você decidiu abrir as portas do

    Universo. Assim, mesmo morrendo, sua alma vai continuar lutando por toda a

    Eternidade.

     

    Este é o verdadeiro desafio de si mesmo.

  • • CAMINHO - PARTE 5

    No meu treino de Karatê, eu não necessito do meu corpo. Preciso quebrar libertar esta Energia. Então, durante o treino, fico completamente violento, não para outra pessoa, mas para mim mesmo.

     

    Em cada movimento meu nasce uma força poderosa, uma Energia que parece que parece quebrar qualquer coisa, transpor qualquer obstáculo.

     

    Aos poucos sinto como que me transformando numa bola de fogo, de pura

    Energia.

     

    Assim, quando não posso mais conter toda essa Força, libero, solto essa Energia através do KIAI!

     

    A Academia Butoku-kan tem como finalidade o invisível, aquilo que não tem limite de tempo, de espaço.

     

    Este é o nosso caminho.

     

    Não buscamos as glórias de campeonatos, a felicidade momentânea, fugaz, passageira. Este é um objetivo pequeno, fútil.

     

    Nossa busca não tem limite. É o infinito, o Invisível. Mas que está aqui, tão próximo de nós.

     

    O Universo, a Natureza, o barulho do vento, as árvores, os pássaros, a correnteza dos rios...   A grande divindade está em qualquer lugar. Vamos escutar, e, através da prática da respiração, nos unir a Ela.

  • • CAMINHO - PARTE 6

    Como fazemos nosso treino?

     

    A primeira parte de nossa rotina é o cumprimento. Todos voltados para a frente, cumprimentamos o Universo, a Natureza, essa força maravilhosa e infinita. Depois nos cumprimentamos, alunos e professor, por nos estimarmos mutuamente. Se não houver respeito e amor não se pode aprender nem ensinar.

     

    Durante o treino de luta combinada não ofendemos nem machucamos nosso parceiro. Precisamos de nossos parceiros para que possamos crescer e nos desenvolver. Por isso devemos respeitá-los. Quando atacamos nossos companheiros devemos pensar que estamos atacando a nós mesmos.

     

    Uma vez frente a frente com meu adversário eu o transformo completamente em mim mesmo. Ele entra completamente dentro de mim, através da minha ligação com o Universo.

     

    Eu já sou ele, e sei como ele pensa e age.

     

    Por isso, na luta de Karatê é necessário Meditação, Conteúdo. Se não houver a sensação de Universo, não se pode atacar nem defender.

     

    Meu Karatê está sempre ligado às leis e razões do Universo.

     

    Sem a meditação, não é possível percorrer este Caminho Divino.

  • • CAMINHO - PARTE 7

    É preciso embelezar a alma, o espírito. A beleza física é passageira. É necessário cuidar do conteúdo, para que cresça cada vez mais e nos ilumine com sua profunda alegria, trazendo das nossas almas a verdadeira beleza.

     

    Nessa vida é preciso lutar sempre. O passado já não existe. Grandes glórias, títulos, são coisas efêmeras. Precisamos andar para frente. Quando nos esquecemos de andar para frente, mesmo vivos, já morremos.

     

    O Karateka precisa sempre abrir caminho. Conquistar a verdadeira felicidade.

    E para isso é impossível viver mais ou menos.

     

    Tem de lutar.

     

    “Meu pensamento é completamente lutador, guerreiro.

    Se tem obstáculo mato, corto, destruo.

    Tenho uma missão a cumprir.

    Abrir as portas do meu espírito e abraçar o Universo”

INSTALAÇÕES
HORÁRIOS


SEGUNDA

TERÇA

QUARTA

QUINTA

SEXTA

SÁBADO

6h45 às 8h

KARATÊ

6h30 às 7h30

TAIKYOKU-KEN

(TURMA NOVA)

6h45 às 8h

KARATÊ

6h30 às 7h30

TAIKYOKU-KEN

(TURMA NOVA)

6h45 às 8h

KARATÊ / KIAI



7h45 às 9h

KARATÊ


7h45 às 9h

KARATÊ








09h às 11h45

SEI CHÛSHIN-DÔ

12h30 às 13h30

KARATÊ

(TURMA NOVA)


12h30 às 13h30

KARATÊ

(TURMA NOVA)




17h45 às 19h

KARATÊ

17h45 às 19h

KARATÊ

17h45 às 19h

KARATÊ

17h45 às 19h

KARATÊ

17h45 às 19h

KARATÊ


19h às 20h15

KARATÊ

19h às 20h15

KARATÊ

19h às 20h15

KARATÊ

19h às 20h15

KARATÊ

19h às 20h30

KARATÊ / KUMITE


20h15 às 21h

KYOKEN-JUTSU


20h15 às 21h

KYOKEN-JUTSU